Google+ Followers

sexta-feira, 20 de junho de 2014

O TRONO DE DEUS - JOSÉ DO EGITO - VERDADEIRO AMOR - O QUE VENCE A BESTA


O TRONO DE DEUS - JOSÉ DO EGITO - VERDADEIRO AMOR - O QUE VENCE A BESTA



COMO É O TRONO DE DEUS

 

     Depois destas cousas olhei, e eis não somente uma porta aberta no céu, como também a primeira voz que ouvi, como de trombeta ao falar comigo, dizendo: Sobe para aqui, e te mostrarei o que deve acontecer depois destas cousas.

     Imediatamente eu me achei em espírito, e eis armado no céu um trono, e no trono alguém sentado;

     E esse que se acha assentado é semelhante no aspecto a pedra de jaspe e de sardônio, e ao redor do trono há um arco-íris semelhante no aspecto a esmeralda.

     Ao redor do trono há também vinte e quatro tronos e assentados neles vinte e quatro anciãos vestidos de branco, em cujas cabeças estão coroas de ouro.

     Do trono saem relâmpagos, vozes e trovões, e diante do trono ardem sete tochas de fogo, que são os sete espíritos de Deus.

     diante do trono um como que mar de vidro, semelhante ao cristal, e também no meio do trono, e à volta do trono, quatro seres viventes cheios de olhos por diante e por detrás.

     O primeiro ser vivente é semelhante a leão, o segundo semelhante a novilho, o terceiro tem o rosto como de homem, e o quarto ser vivente é semelhante a águia quando está voando.

     E os quatro seres viventes, tendo cada um deles respectivamente seis asas, estão cheios de olhos, ao redor e por dentro; não tem descanso nem de dia nem de noite, proclamando: Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus, o Todo-poderoso, aquele que era, que é e que há de vir.

     Quando esses seres viventes derem glória, honra e ações de graça ao que se encontra sentado no trono, ao que vive pelos séculos dos séculos,

     Os vinte e quatro anciãos prostrar-se-ão diante daquele que se encontra sentado no trono, adorarão ao que vive pelos séculos dos séculos, e depositarão as suas coroas diante do trono, proclamando:

     Tu és digno, Senhor e Deus nosso, de receber a glória, a honra e o poder, porque todas as cousas tu criaste, sim, por causa da tua vontade vieram a existir e foram criadas.

 

 

O QUE É O VERDADEIRO AMOR

 

     E eu passo a mostrar-vos ainda um caminho sobremodo excelente.

     Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, serei como o bronze que soa, ou como o címbalo que retine.

     Ainda que eu tenha o dom de profetizar e conheça todos os mistérios e toda a ciência; ainda que eu tenha tamanha fé ao ponto de transportar os montes, se não tiver amor, nada serei.

     E ainda que eu distribua todos os meus bens entre os pobres, e ainda entregue o meu próprio corpo para ser queimado, se não tiver amor, nada disso me aproveitará.

     O amor é PACIENTE, é BENIGNO, o amor NÃO ARDE EM CIÚMES, NÃO SE UFANA, NÃO SE ENSOBERBECE,

     NÃO SE CONDUZ INCONVENIENTEMENTE, NÃO PROCURA OS SEUS INTERESSES, NÃO SE EXASPERA, NÃO SE RESSENTE DO MAL;

     NÃO SE ALEGRA COM A INJUSTIÇA, MAS REGOZIJA-SE COM A VERDADE;

     TUDO SOFRE, TUDO CRÊ, TUDO ESPERA, TUDO SUPORTA.

     O AMOR JAMAIS ACABA; mas havendo profecias, desaparecerão; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, passará;

     Porque em parte conhecemos e em parte profetizamos.

     Quando porém vier o que é perfeito então o que é em parte será aniquilado.

     Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, pensava como menino; quando cheguei a ser homem, desisti das cousas próprias de menino.

     Porque agora vemos como em espelho, obscuramente, então veremos face a face; agora conheço em parte, então conhecerei como também sou conhecido.

     Agora pois, permaneçam a FÉ,a ESPERANÇA e o AMOR, estes três: porém O MAIOR DESTES É O AMOR.

 

 

O SONHO DE JOSÉ

 

     Teve José um sonho, e o relatou a seus irmãos; por isso o odiaram ainda mais.

     Pois lhes disse: Rogo-vos, ouvi este sonho que tive:Atávamos feixes no campo, e eis que o meu feixe se levantou e ficou em pé; e os vossos feixes o rodeavam e se inclinavam perante o meu.

     Então lhe disseram seus irmãos: Reinarás, com efeito, sobre nós? E sobre nós dominarás realmente? E com isso tanto mais o odiavam, por causa de seus sonhos e de suas palavras.

     Teve ainda outro sonho, e o referiu aos seus irmãos, dizendo: Sonhei também que o sol, a lua e onze estrelas se inclinavam perante mim.

 

 

JOSÉ INTERPRETA OS SONHOS DE FARAÓ

 

     Passados dois anos completos Faraó teve um sonho. Parecia-lhe achar-se ele de pé junto ao Nilo.

     Do rio subiam sete vacas formosas à vista, e gordas, e pastavam no carriçal.

     Após elas subiam do rio outras sete vacas, feias à vista, e magras; e pararam junto às primeiras, na margem do rio.

     As vacas feias à vista, e magras, comiam as sete formosas à vista, e gordas. Então acordou Faraó.

     Tornando a dormir sonhou outra vez: De uma só haste saíam sete espigas cheias e boas.

     E após elas nasciam sete espigas mirradas, crestadas do vento oriental.

     As espigas mirradas devoravam as sete espigas grandes e cheias. Então acordou Faraó, fora isto um sonho.

     De manhã, achando-se ele de espírito perturbado, mandou chamar todos os magos do Egito, e todos os seus sábios, e lhes contou os sonhos; mas ninguém havia que lhos interpretasse.

      Então disse a Faraó o copeiro-chefe: Lembro-me hoje das minhas ofensas.

      Estando Faraó mui indignado contra os seus servos, e pondo-me sob prisão na casa do comandante da guarda, a mim e ao padeiro-chefe,

      Tivemos um sonho na mesma noite, eu e ele: sonhamos, e cada sonho com a sua própria significação.

      Achava-se conosco um jovem hebreu, servo do comandante da guarda; contamos-lhe os nossos sonhos, e ele no-los interpretou, a cada um segundo o seu sonho.

      E como nos interpretou, assim mesmo se deu: eu fui restituído ao meu cargo, o outro foi enforcado.

      Então Faraó mandou chamar a José, e o fizeram sair à pressa da masmorra; ele se barbeou, mudou de roupa, e foi apresentar-se a Faraó.

     Este lhe disse: Tive um sonho, e não há quem o interprete. Ouvi dizer, porém, a teu respeito que, quando ouves um sonho, podes interpretá-lo.

     Respondeu-lhe José: Não está isso em mim; mas Deus dará resposta favorável a Faraó.

...

     Então lhe respondeu José: O sonho de Faraó é apenas um; Deus manifestou a Faraó o que há de fazer.

     As sete vacas boas serão sete anos; as sete espigas boas, também sete anos: o sonho é um só.

     As sete vacas magras e feias, que subiam após as primeiras, serão sete anos, bem como as sete espigas, mirradas e crestadas do vento oriental serão sete anos de fome.

     Esta é a palavra, como acabo de dizer a Faraó, que Deus manifestou a Faraó que ele há de fazer.

     Eis aí vem sete anos de grande abundância por toda a terra do Egito.

     Seguir-se-ão sete anos de fome, e toda aquela abundância será esquecida da terra do Egito, e a fome consumirá a terra;

     E não será lembrada a abundância na terra, em vista da fome que seguirá, porque será gravíssima.

     O sonho de Faraó foi dúplice, porque a cousa é estabelecida por Deus, e Deus se apressa a faze-la.

...

     Disse Faraó aos seus oficiais: Acharíamos, porventura, homem como este, em que há o Espírito de Deus?

     Depois disse Faraó a José: Visto que Deus te fez saber tudo isto, ninguém há tão ajuizado e sábio como tu.

     Administrarás a minha casa, e à tua palavra obedecerá todo o meu povo: somente no trono eu serei maior do que tu.

     Disse mais Faraó a José: Vês que te faço autoridade sobre toda a terra do Egito.

     Então tirou Faraó o seu anel de sinete da mão e o pôs na mão de José, fé-lo vestir roupa de linho fino e lhe pôs ao pescoço um colar de ouro.

 

 

CRISTO, O VENCEDOR DA BESTA E DO FALSO PROFETA

 

     Vi o céu aberto, e eis um cavalo branco. O seu cavaleiro se chama FIEL E VERDADEIRO, e julga e peleja com justiça.

     Os seus olhos são chama de fogo; na sua cabeça há muitos diademas; tem um nome escrito que ninguém conhece senão ele mesmo.

     Está vestido com um manto tinto de sangue, e o seu nome se chama o VERBO DE DEUS.

     Sai da sua boca uma espada afiada, para com ela ferir as nações; e ele mesmo as regerá com cetro de ferro, e pessoalmente pisa o lagar do vinho do furor da ira do Deus Todo-poderoso.

     Tem no seu manto , e na sua coxa, um nome inscrito: REIS DOS REIS E SENHOR DOS SENHORES.

     Então vi um anjo posto em pé no sol, e clamou com grande voz, falando a todas as aves que voam pelo meio do céu: Vinde, reuni-vos para a grande ceia de Deus,

     Para que comais carnes de reis, carnes de comandantes, carnes de poderosos, carnes de cavalos e seus cavaleiros, carnes de todos, quer livres, quer escravos, assim pequenos como grandes.

     E vi a besta e os reis da terra, com os seus exércitos, congregados para pelejarem contra aquele que estava montado no cavalo, e contra o seu exército.

     Mas a besta foi aprisionada, e com ela o falso profeta que, com os sinais feitos diante dela, seduziu aqueles que receberam a marca da besta, e eram os adoradores da sua imagem. Os dois foram lançados vivos dentro do lago do fogo que arde com enxofre.

     Os restantes foram mortos com a espada que saía da boca daquele que estava montado no cavalo. E todas as aves fartaram das suas carnes.

 

 

 
     Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
     Porquanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo , mas para que o mundo fosse salvo por ele.
     Quem nele crê não é julgado; o que não crê já está julgado, porquanto não crê no nome do unigênito FILHO DE DEUS.
     O julgamento é este: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz ; porque as suas obras eram más.
     Pois todo aquele que pratica o mal aborrece a luz e não se chega para a luz, a fim de não serem argüidas as sua obras.
     Quem pratica a verdade aproxima-se da luz a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque feitas em Deus.